Arte maloqueira, Chabilandia

Reverter 06

Feedback de como o grupo está usando o Toolkit Mazi.

"Olá, Loyane, CSM pessoal e equipe inversa.

Primeiro, gostaríamos de justificar o atraso para responder às perguntas, passamos por um processo de escrever um projeto e levou-nos muito tempo. Mas, mesmo com o atraso, nós realmente gostaríamos de compartilhar nossa experiência.

1. Falta de apoio estrutural, mais detalhes.

Nas periferias sofremos de uma situação que nos incomoda muito, há muitos casos de profissionais e estudantes, que vêm para escrever teses, para fazer uma experiência de campo e, em seguida, desaparecer. Eles ocupam nosso tempo e nos deixam sem retorno. Confesso que o primeiro contato com o povo londrino logo imaginou que seria algo assim.

Para nossa surpresa, Anthony foi para a nossa "ravina" com a companhia de batata para entender nossas necessidades e conhecer nossas ações. Estávamos a tranquilizar-nos gradualmente. Compreender a proposta da Mazi e a abordagem ideológica (do-it-yourself, software livre e anti-privilégios) fez o grupo receber a nossa confiança.

2. Reações iniciais com Mazi, conexões, maloca Mobile e arte maloqueira.

O Mazi é uma tecnologia fantástica, quanto mais nós aprendemos, mais nós imaginamos como ele poderia melhorar algumas ações.

No primeiro contato, estávamos fechando o projeto de "saraus da maloca" na biblioteca municipal Jamil Almansur Haddad e nós já pensamos que as pessoas (idosos, doentes ou domésticos) que estavam em casa poderia seguir o "Sarau" pela câmera Mazi viver em uma plataforma que não exigiria Internet.

Em dezembro fomos contemplados com o projeto, o maloca Mobile. Dois anos atrás, descobrimos como fazer algumas pessoas do extremo do bairro ir em poucas instalações culturais que estão no centro da vizinhança. Em seguida, pensamos em levar o equipamento cultural ao extremo, em vez de levar as pessoas para o centro, de modo que o maloca móvel nasce. Um espaço cultural e estúdio itinerante comunitário.

Para maloca Mobile pensamos em produzir programas de rádio-a partir da perspectiva da comunicação da Comunidade. Para a perseguição que as rádios comunitárias sofrem, o Mazi é uma outra maneira de espalhar a produção feita e ainda mais, permite que cada ravina e local que vamos, as pessoas podem ouvir outras pessoas de ravinas diferentes, que é grande. Isso já está acontecendo. No Mazi, ele é chamado de Radioteca.

Nós adaptamos esse espaço que seria como um blog, para uma espécie de Instagram, onde as pessoas nos eventos podem fazer upload de imagens e frases, o que faz o maior sucesso nas ravinas que chamamos Maloq'Insta. Para associar rapidamente a rede social. Está a resultar. Tornou-se uma cobertura dos acontecimentos.

Outro uso para nós, foi criar uma coleção de livros que não chegam nas periferias, devido a problemas financeiros da população para comprar ou uma censura socialmente estruturada, não temos o livro que fala sobre a perseguição que as mulheres sofrem, um atual caça às bruxas, principalmente nas periferias (livro: Caliban e a bruxa, por Silvia Federici), também o livro de Angela Davis, entre outros. Esta é a nossa biblioteca.

Nós temos outras idéias, que sem financiamento ainda estão em nossos planos. A da Malocanewspaper compartilhada na parte da manhã em todas as ravinas com notícias importantes feitas por nós mesmos, para espalhar principalmente a boa notícia de que o nosso bairro tem (que não são poucos), diferente dos tablóides que só mostram crimes e violência.

3. Alguma dificuldade com a ferramenta

Nossa câmera Mazi parou de funcionar, então um dos usos parou.

Queríamos expandir a quantidade de memória, para também fazer filmes disponíveis, mas não fomos capazes, por exemplo, deixar um HD externo com arquivos para acesso Mazi (pode ser uma falta de conhecimento técnico da nossa parte)

E há outras ferramentas que temos vindo a experimentar, mas ainda não sabemos ao certo o uso, por exemplo, seria um tipo de escrita coletiva, pensamos em usar nos workshops de poesia e crônicas, mas não temos ainda dominado como ele funciona.

4. Indo para Londres

Recebemos o convite para ir a Londres em novembro, pelo CSM, eu acredito que é por causa da experiência que nós vivemos juntos com você aqui em São Paulo, nós estávamos muito felizes com o convite e gostaríamos de lhe perguntar a possibilidade de ir nós três , porque o arte maloqueira tem um núcleo que pensa que as atividades, composta por estes três membros, se apenas um de nós pode ir, já é grande, mas não se compara se pudéssemos ir juntos. Podemos ver a possibilidade de pagar alguma parte, você acha que é possível?

Gratidão!

Arte maloqueira

Sheyla, renildo e Bruno "